domingo, 18 de março de 2012

Filha de Giovani contesta as palavras do pai



Depois do cantor Giovani pedir ao jornalista André Piunt, do Blog Universo Sertanejo (UOL), http://universosertanejo.blogosfera.uol.com.br/2012/03/10/giovani-se-defende-de-acusacoes-da-filha-e-diz-que-sua-felicidade-incomoda/#comentarios, para divulgar uma carta escrita por ele explicando as última declarações da filha, Gessyca Cintra, que também vem a público contestar as palavras do pai.

"Prezados leitores,

Meu nome é Gessyca, tenho 19 anos e sou filha de Marcelo dos... Reis Morais, o Giovani, da dupla Gian e Giovani. Nos últimos dias a imprensa publicou que meu pai não está cumprindo a sua obrigação de pagar pensão alimentícia para mim, para minha mãe e para meu irmão. É verdade, podem acreditar. Em razão disso, passamos por dificuldades financeiras, que somente não são maiores, porque contamos com a ajuda de amigos e familiares.

Durante o casamento, minha mãe não trabalhou. Meu pai não permitia. Casou-se com 16 anos e, ao longo de duas décadas, dedicou-se de corpo e alma à família e ao Giovani.Tivemos uma vida familiar muito boa, mas um dia o Giovani foi embora.

Segundo afirmou na carta, divulgada para a imprensa no dia 10/3/2012, hoje ele é o homem mais feliz do mundo e, agora, fiel, coisa que, segundo ele, nunca antes conseguiu ser.

É muito triste que coisas desse tipo venham a público. Estou extremamente ferida e magoada com tudo isso. Sei que as relações de amor estão sempre sujeitas a todo tipo de traição, mas não posso aceitar que, além do constrangimento de não ter dinheiro em casa para o básico, seja ainda acusada de estar mentindo sobre o não pagamento das pensões.

Eu não cometeria uma deslealdade dessas com meu pai. Não mentiria sobre isso. O que estou cobrando publicamente é que ele cumpra o dever que lhe cabe. Se ele não honrou os deveres do casamento, que o menos cumpra as obrigações decorrentes da separação. Se ele não se encontra comigo há mais de sete meses, que não venha criticar minha mãe. Seja leal.

Sobre ser feliz, eu mudaria o que ele disse na carta que enviou à imprensa. Diria a cada um que viva honestamente, cumpra com seus deveres. Quando errar, assuma. Não desvie a atenção culpando os outros. Conserte em vez de tentar ocultar. Se não está feliz com a pessoa que te acompanha, respeite-a, não a maltrate, retire-se honestamente. Então, se cumprir tudo isso e mais alguma coisa, seja realmente feliz!

O que peço ao meu pai é que cumpra o seu dever. Aos leitores peço que, diante de alguém que alega estar e dia com as suas obrigações, nunca aceitem menos do que a prova do pagamento: os recibos.

Muito obrigada!
De: Gessyca Cintra"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário